Noite de São João  é nas ruas da cidade

De 23 para 24 de junho, o Porto volta a sair à rua para a noite mais longa do ano. À semelhança do ano passado, a festa divide-se por três palcos: os Jardins do Palácio de Cristal, o Largo do Amor de Perdição e a Praça da Casa da Música.

Com início dos concertos marcado para as 22h00, os palcos vestem-se de cores e ritmos diferentes, com propostas que procuram responder a todos os gostos.

O programa que traz toda a gente para a rua é feito de música, rusgas, cascata, diversões, fogo-de-artifício e toda a tradição de sempre e foi apresentado ao final da tarde desta quarta-feira, no Museu do Vinho do Porto.

“Vamos adotar novamente um modelo descentralizado das festas”, confirmou Rui Moreira, opção que é justificada pelos “constrangimentos [de trânsito] que se vivem na cidade”, mas também porque “a experiência que foi feita no ano passado resultou bem”. Assim, a cidade vai viver a música “em três palcos” em diferentes zonas, com “concertos para todos os gostos e feitios”.

Adiantando que o investimento municipal global é de 615 mil euros, o presidente da Câmara do Porto garante que “o programa das festas vai levar animação a todas as freguesias”. E, assegura Rui Moreira, “a tradição vai viver-se à meia-noite de dia 23 com fogo-de-artifício, um espetáculo visual sempre surpreendente e mobilizador”. O autarca reconheceu que a parceria com a Câmara de Vila Nova de Gaia “tem contribuído muito para o sucesso do São João”.

Mais uma vez, a identidade visual das festas da cidade é da autoria do escultor e designer João Machado, “um cruzamento vívido e elegante de muitos elementos icónicos desta festa”.

Certa de que “chegou a época mais feliz da nossa cidade”, a vereadora da Saúde e Qualidade de Vida, Juventude e Desporto reforçou que, durante o mês de junho, “o Porto é ainda mais Porto, com atividades para todos, dos mais pequenos aos mais velhos, em eventos que buscam valorizar o que de melhor temos para oferecer”.

“É inegável que o Porto está em festa”, sublinha Catarina Araújo, deixando a mensagem para que “vivamos este mês com a intensidade que ele merece, sempre com a consciência que juntos, seremos sempre cada vez mais, na identidade de um povo, na afirmação das nossas tradições, num Porto que é, também ele, cada vez mais nosso”.

Com uma palavra para “as gentes, suas associações e coletividades, que, neste período, fazem da cidade um Porto realmente para todos”, a também presidente do conselho de administração da Ágora, a empresa municipal responsável pela programação da festa popular, sublinhou como “são elas, também, as melhores embaixadoras de um São João, que olha, todos os anos, para o futuro, sem esquecer o passado”.

Vamos à festa. Na noite mais longa do ano, a de 23, a música arranca às 22 horas em três palcos: o sempre acarinhado cantor Emanuel e o grupo Cláudia Martins & Minhotos Marotos animam o Largo Amor de Perdição, Miguel Araújo, os Fogo Fogo e Francisco Menezes tomam conta dos Jardins do Palácio de Cristal, deixando a noite ao largo da Casa da Música ao cuidado de David Bruno e, pela noite dentro, de Moullinex com um DJ set ao ar livre.

À meia-noite, não há como enganar e os olhos fixam no céu da cidade para o tradicional fogo-de-artifício, que voltará a unir Porto e Vila Nova de Gaia junto à Ponte Luís I.

Mas a festa não termina aqui. No Dia de São João, 24 de junho, a concha acústica dos Jardins do Palácio de Cristal recebe o concerto da Banda Sinfónica Portuguesa.

O programa estende-se por todas as freguesias do concelho, levando Quim Barreiros, Leandro, Augusto Canário, Diapasão e Sons do Minho, entre muitos outros, aos quatro cantos da cidade, nos dias 16, 17, 18, 23 e 24 de junho. Os concertos por freguesia podem ser consultados no documento em anexo.

Para 1 de julho, está marcada a saída à rua das rusgas sanjoaninas. Mais uma vez, as várias associações e coletividades da cidade desfilam, cantam e mostram coreografias, num percurso que termina em frente à Câmara Municipal. Este local será, também, o palco da Arruada de Ranchos, que, no dia 17 de junho, abre as ruas do Porto aos trajes e cantares tradicionais dos vários grupos folclóricos da cidade.

E porque é de tradição que se trata, uma das maiores, a Cascata Comunitária de São João pode ser visitada no Mercado do Bolhão, entre os dias 20 de junho e 1 de julho. Desenvolvida pela Oficina Brâmica, conta, como sempre, com o envolvimento da comunidade, por isso, quem quiser meter as mãos no barro e nas tintas pode inscrever-se, através do endereço de correio eletrónico termarbranco@gmail.com. As sessões acontecem nos dias 3, 9, 13 e 14 de junho.

 

Junho é também mês de aproveitar as zonas de diversão e experimentar os carrosséis, os carrinhos de choque ou a roda gigante que já estão em funcionamento na Rotunda da Boavista e ali estarão até 2 de julho. A partir de 16 de junho, os divertimentos estendem-se à Alameda das Fontainhas (terminam a 25 de junho), ao Jardim do Cálem (até 2 de julho) e à Avenida D. Carlos I (até 9 de julho).

Os locais estão em funcionamento de segunda a quinta-feira, entre as 14 e as 23 horas, às sextas-feiras, entre as 14 e a 01 hora, aos sábados, entre as 10 e a 01 hora, e aos domingos, entre as 10 e as 23 horas. Na noite de São João, todas as zonas estão abertas até às 06 horas.

 

Partilhar nas redes sociais

Últimas Notícias
CCDR-N e Irmandade com protocolo para reabilitação da Torre dos Clérigos
19/07/2024
Cristina Planas Leitão cessa funções no Teatro Municipal do Porto
19/07/2024
Dois homens detidos crime de contrafação na baixa do Porto
19/07/2024
Largo do Amor de Perdição recebe “FC Porto na Baixa”
19/07/2024
Muros da Rua de Miragaia vão ser reabilitados e reparados
19/07/2024
Porto Business School e Católica Porto Business School no MBA Ranking 2024
19/07/2024
Estádio do Dragão com novas regras de acesso
19/07/2024
Detido jovem de 16 anos por suspeita de pornografia de menores no Porto
19/07/2024
CCDR-N e Irmandade com protocolo para reabilitação da Torre dos Clérigos
19/07/2024
Cristina Planas Leitão cessa funções no Teatro Municipal do Porto
19/07/2024